A Sociedade Brasileira de Computação – SBC aprovou no dia 17/02/22 as “Normas sobre Computação na Educação Básica – Complemento à BNCC”. Agora, o texto segue para homologação no poder executivo.

Na prática, isso significa que a computação passará a ser uma disciplina regular obrigatória em todas as escolas do Brasil, a partir do 1º ano do Ensino Fundamental já em 2023!

O texto-base aprovado é muito bom e vale a pena ser lido na íntegra. Ele traz estudos atuais sobre o tema e o papel central da computação no exercício da cidadania.

“Inteligência artificial, aprendizado de máquinas, internet das coisas, automação – quem argumentaria contra a importância e onipresença da computação na contemporaneidade? (…) Como formar cidadãs e cidadãos para o pleno desenvolvimento da cidadania e para o mundo do trabalho, conforme assegura a carta magna, ignorando o modus operandi pela qual opera o desenvolvimento econômico contemporâneo?”

Texto-base p.8

O documento concebe a Computação para Educação Básica, formada por 3 eixos fundamentais:

1. Pensamento Computacional: refere-se à habilidade de trabalhar com problemas e suas soluções através do desenvolvimento de algoritmos, alavancando a aprendizagem e o pensamento criativo e crítico nas diversas áreas do conhecimento.

2. Mundo Digital: envolve aprendizagens sobre artefatos digitais, compreendendo tanto equipamentos (hardware) quanto programas (softwares e redes de dados). Compreender o mundo contemporâneo requer conhecimento sobre o poder da informação.

3. Cultura Digital: envolve aprendizagens voltadas à participação consciente e democrática nas redes digitais e a consequente construção de atitude crítica, ética e responsável em relação a elas.

Três eixos da computação na Educação Básica

Outro ponto interessantíssimo do texto-base é que ele já concebe o ensino da computação como algo essencialmente interdisciplinar e transversal entre os campos do saber.

“Deve-se observar que Computação é uma Ciência, e não parte ou tecnologia associada à  Matemática. Um eventual itinerário formativo em “Computação” pode envolver robótica, automação, inteligência artificial, programação e jogos digitais. Isso poderá facilitar excelentes oportunidades de interdisciplinaridade nas exatas, nas humanidades, nas artes.”

Texto-base p.20

Enfim, temos mudanças a caminho! Ótimas mudanças, na minha opinião.

Se o objetivo da educação regular é formar pessoas autônomas diante da vida, e se hoje o modus operandi da nossa sociedade é amplamente intermediado por canais digitais, já passamos a hora de trazer esse campo de conhecimento para dentro da escola.

É como dizemos aqui: “a tecnologia é uma linguagem universal que conecta pessoas por meio de projetos para criar ou melhorar algo.” (lema da Robótica DHEL)

Conheça mais sobre nossa metodologia de ensino e sobre nossas soluções para implementar a computação na grade curricular da sua escola.

Referência:

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Normas sobre Computação na Educação Básica – Complemento à BNCC. Processo Nº 23001.001050/2019-18.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *