Metodologia

Partimos de problemas abertos, concretos e imediatamente acessíveis. Problemas abertos são aqueles cujas possibilidades de solução são infinitas. Tocar um instrumento, jogar uma partida de futebol, construir uma torre alta e enviar uma sonda espacial são exemplos de problemas abertos.

A cada semestre, são desenvolvidos temas que servem como contextos de problematização. Eles são intencionalmente planejados para garantirem o aprendizado das competências propostas ao longo do curso. Este planejamento é disponível aos pais e às escolas conveniadas. A diferença em relação ao ensino tradicional é a forma de abordagem: nós começamos pelo problema, e não pela teoria/conteúdo.

O papel do professor é ser o tutor e ajudar os alunos a enquadrar problemas e oportunidades para serem desenvolvidas. A partir daí, cada sub-grupo passa a demandar conteúdos e informações específicas para desenvolver seus projetos. Este método é conhecido como “metodologia ativa” ou problem based learning.

As turmas são formadas por alunos novatos e veteranos. Como o curso é focado em competências e não em conteúdos, a diversidade de olhares contribui para uma visão mais ampla dos problemas e das suas soluções. E, não se enganem: nas aulas de robótica, idade não é documento!

 

 “Imagine a mudança de faríamos se, ao invés de ir à escola para aprender mais um capítulo de conteúdo, nossas crianças pudessem criar coisas novas?”

Paulo Bleisken, Stanford